Como (não) ir para o Centro Histórico

Saltos, não!

Andar pelas ruas do Centro Histórico de Paraty pode ser um tormento para quem não foi preparado. E, olha, nossa dica para as meninas é jamais ir de salto alto, nunca mesmo. Motivo: as ruas são todas de pedras escorregadias e dispersas entre si.

Ruas do Centro Histórico de Paraty são todas de pedra (Foto: Rafael Marcatto)
Ruas do Centro Histórico de Paraty são todas de pedras (Foto: Rafael Marcatto)

Então, para evitar um tombo ou algo pior vá de chinelo, sapatilha ou qualquer outro calçado que não tenha salto e não derrape (esta última dica também vale para os meninos).

Outra dica esperta é andar bem no centro da rua, onde as pedras são mais planas. Sempre que estamos com pressa, fazemos isso. Exceto em dias de chuva, porque é nessa parte que a água fica empoçada.

Carros, não!

E nada de preguiça para andar! Carros não podem trafegar no centro histórico. Mas, se você quiser, pode alugar uma charrete na praça da Matriz e, de quebra, conhecerá um pouquinho mais da história de Paraty, porque os rapazes que oferecem esse tipo de passeio compartilham o conhecimento deles com os turistas. Uma boa, né?

Bikes, talvez…

Ó, tem gente que não se importa de andar de bicicleta nas ruelas de pedra do centro histórico. Nós não achamos confortante, gostamos mesmo é de andar a pé por lá, para admirar cada esquina de Paraty (Sim! Nós não nos cansamos disso).

Arquitetura colonial está presente em cada canto do Centro Histórico de Paraty
Arquitetura colonial está presente em cada canto do Centro Histórico de Paraty

E, por último, apenas um parênteses: Se você tiver sorte (ou azar, dependendo do ponto de vista), ainda poderá apreciar a beleza da arquitetura colonial paratiense refletida na água que invade as ruas durante a cheia do mar.

É de tirar o fôlego as maravilhas dessa cidade. Nós amamos Paraty, e você?

Deixe uma resposta